Trabalho sexual em tempos de pandemia

Trabalhadoras sexuais, assim como todas as pessoas que exercem trabalho precário e à margem de direitos neste país, nos vimos de um dia para o outro sem renda e perspectiva. A chegada dos primeiros casos de Covid-19 no país tiraram de baixo do tapete aquilo que já vínhamos percebendo há mais de ano: as políticas de austeridade, a retirada de direitos e a política neoliberal da extrema direita não dão conta de proteger quem mais precisa em tempos de calamidade.

Para complementar o cenário, caótico por si só, estamos nas mãos de um governo desastrado e um presidente memético, para dizer o melhor que se pode dessa turma.

Felizmente, iniciativas começam a surgir de um lado e outro, e as trabalhadoras sexuais brasileiras já articulam campanhas que divulgaremos aqui e em outros espaços nas próximas semanas.

De momento, trouxe um documento redigido por COYOTE RI, que nos será muito útil como guia de prevenção aqui no Brasil. O documento é extenso e traz links importantes, tanto sobre prevenção quanto sobre a migração das trabalhadoras sexuais para o trabalho online, única via segura de exercê-lo no momento. O documento, em inglês, será atualizado de tempos em tempos, sugerimos que acompanhem suas modificações durante a pandemia.

Se encontra neste [LINK], e seu compartilhamento foi devidamente autorizado por Bella Robinson, uma das coordenadoras da organização.