Canadá: dominatrix com deficiência obtém indenização por dano cerebral

Andree Lau
“Eu sei tricotar. Você quer que eu me sente aí e tricote?”, Alissa Afonina diz, com um sorriso que poucos chegam a ver. Estamos encerrando nossa entrevista, em seu apartamento na área de Vancouver, e precisamos de algumas imagens a mais. Perguntamos sobre o balanço erótico em um dos quartos. “É como uma rede. Posso me sentar nele e ler”, ela explica. Nós aceitamos sua sugestão de filmá-la amarrando suas botas pretas com plataforma de 6 polegadas, que sobem até suas coxas. Afonina, 23, é uma dominatrix profissional que trabalha sob o nome Sasha Mizaree. Ela é paga para assumir o controle de um cliente submisso – tipicamente masculino – em sessões de papéis sadomasoquistas.

Ler mais